sábado, 22 de janeiro de 2011

Duas Primeiras Semanas



Ainda me lembro dos primeiros dias de nascida de minha Filha: grande (3,580kg e 49cm) e com o rosto bem desenhado, já lembrando o meu (de verdade: nada daquelas carinhas amassadas que alguns bebês apresentam nos primeiros dias, alimentando o chato mito das "carinhas de joelho"), minha garotinha, graças a Deus, nunca teve cólicas e nenhum problema de saúde enfrentou até hoje (a não ser duas febrículas derivadas de vacinas)! Mesmo assim, as primeiras duas semanas são muito difíceis para um pai e uma mãe de primeira viagem: a nova rotina do acordar várias vezes para dar de mamar - e os conseqüentes 15 minutos para o arroto chegar; as feridas nos mamilos (aconteceu com a Mamãe); as primeiras trocas de fraldas... Sem dúvida, tempos de doce, porém duro (e cansativo) aprendizado...

Mas eu estava lá, sempre: mesmo com minha mulher tendo-se mudado para o quartinho da Filha, eu deixava a porta do meu aberta para que, diante de qualquer chorinho, eu lá estivesse de prontidão! E só não dava de mamar porque biologicamente impossível, mas atuava nas onze e vi várias vezes o dia amanhecer... Lindamente cansativo com minha princesinha nos braços...

Porém, passadas as tais "duas semanas", numa noite fechei a porta do outrora "nosso" quarto de casal e senti, no dia seguinte, olhares de reprovação... O mesmo se sucedeu nas noites posteriores, até que, num café da manhã...

- Engraçado, né? Antes era uma prontidão, um "SuperPai" de verdade! Agora fecha o nosso quarto pra nem se perturbar com o choro! O que aconteceu? Kryptonita?!
- Mas meu amor, como voltei para o escritório, as "noites de terror" do sangramento nos mamilos já se normalizaram, e já passou o deus-nos-acuda da aflição inicial, eu me deixei levar pelo cansaço e procurei dormir um pouquinho mais...
- E eu não tenho essa regalia, né?
- Claro que não, amor: você dá de mamar; eu, não... Ou você queria que eu acordasse toda madrugada só pra botá-la para arrotar?
- Seria bom: eu ganharia 15 minutos de sono extra...

Nem preciso dizer que a conversa, além de ter gerado nosso primeiro desconforto pós-parto como casal, também alimentou uma polêmica que se arrastou até pouco tempo atrás: a falta de "apoio" depois das duas primeiras semanas e as "mudanças" do tipo "igual a todos os homens"...

Ao me intitular "SuperPai" neste blogue, em nada queria me auto-promover como um pai acima da média; tampouco criei este espaço para um "altar de gabolices", onde as mamães virtuais (vez que os "papais virtuais" são peças raras!) ficassem a me ovacionar (juntamente à minha mãe, a fiel "Vovó" de todos os comentários!), muito pelo contrário: a idéia maior sempre foi homenagear minha garotinha e levar, por meio de croniquetas leves e divertidas, alguns conhecimentos acumulados nesta "árdua primeira viagem" (por isso a brincadeira com o "super")! Jamais neguei falhas e egoísmos que um homem acaba desenvolvendo, uma vez que certas missões são femininas, como a amamentação! Por isso, sempre procurei contornar faltas de atenção aqui e ali com amor, carinho, compreensão com as "noites planejadas" geralmente convertidas em sono pesado da mãe em meus braços e alguns momentos de retomada do poder de ler a mente dela e correr pra perto na hora de sentir um "Larga essa televisão e vem me fazer companhia no quartinho dela, que estou sozinha dando de mamar!"... Enfim, poderes que aumentam ou diminuem com os dias humanos de qualquer pai falível...

Na verdade, na união do dia-a-dia (coisa que adoro), não sou tão super assim; elas, muito mais que eu... Pois que acabamos sendo uma "superfamília": além de mim, jamais poderia esquecer, sempre à frente, a SuperMãe e a SuperFilha!

12 comentários on "Duas Primeiras Semanas"

Marina Queiroz on 22 de janeiro de 2011 10:40 disse...

Super Pai
Que linda crônica!
E eu tenho certeza que com a sua sensibilidade, estes momentos de desconforto foram logo dissipados.
Muito bonita a homenagem para A Mãe e a Filha!
Ah, se quiser, manda pro meu e-mail seu endereço pra eu enviar de presente para a Filha um Super Livro do Ziraldo, rs!

Trakinando com a mamãe on 22 de janeiro de 2011 11:30 disse...

Oie! Linda e emocionante crônica!
Eu lendo seu post me fezlembrar o quanto o meu esposo me apoiou com nossa filha, as noites que ele levantava e ninava a pequena, assim me deixando descansar um pouquinho...
As trocas de fralda, era uma comedia *rs, mais ele sempre estava disposto a trocá-las.
Como foi e está sendo bom para todos daqui de casa e sim temos que dizer que somos também uma super família.
Fica com as Bençãos de Deus e até mais(se Deus quiser)
☪ حنان مصطفى ☪
www.trakinandocommamae.blogspot.com

.Mone on 22 de janeiro de 2011 23:05 disse...

Acredite, a maioria dos pais nem atenção e carinhos dá. E cuidar do para que a mãe não quebre o resguardo então.
O título se encaixa muito bem, concerteza.

Dani on 23 de janeiro de 2011 09:07 disse...

Recebi o seu selinho e vim conhecer seu blog!

Adorei toda a sinceridade dos 15 dias da licença do papai... a minha "licença" ainda não terminou, acho que dura uns 30 anos... rs

Estou te seguindo!

Vem me visitar: diretodoutero.blogspot.com

Dani

Claudia on 23 de janeiro de 2011 09:20 disse...

Olá!
Recebi o selinho da Chris e tbe vim conhecer vcs.
Vou acompanhá-los tbe.
Muito bom o post.
Abs e um otimo final de semana

http://blogdaclauo.blogspot.com/

Mãe Mochileira,filho malinha.. on 25 de janeiro de 2011 14:07 disse...

Oiii! td bom? olha, adoro saber que tem pais que se comovem..e que se movem! que ajudam as mães,que cuidam de seus filhos e que sentem prazer nisso! porque acredite,tem pais que não fazem isso!! parabens p vc e para toda a tua SUPER familia!!
biejos,otima semana!!
;-)

Cláudia Gimenes on 25 de janeiro de 2011 18:33 disse...

Lindo texto, SuperPai!
Adorei a sinceridade e a sensibilidade do texto!!!

Sobre o selinho, indiquei 10 blogs pq geralmente são 10...rss
Que bom que vai postar todas as sextas! Estarei sempre por aqui!!!

Grande abraço na SuperFamília e cheirinhos especiais à SuperFilha!

Tenham uma abençoada semana!

Cláudia

Mamãe disse...

Realmente estas 2 primeiras semanas são críticas na vida da parturiente. Principalmente para as mulheres que ficam com as mamas feridas devido ao mal posicionamento durante as mamadas, como foi o meu caso. Isso sem falar das milhões de novidades e emoções vividas nesse momento único que é ter o primeiro filho... Mas Papai, expor esses 'defeitinhos' aqui só mostra o grande companheiro que tenho tido ao longo de toda essa prazerosa 'viagem' que já dura quase 8 meses! E só posso dizer que está sendo uma delícia vivenciar tudo isso... O trio que formamos é maravilhoso e nos completamos uns aos outros com todas as nossas qualidades e defeitos! Amo vocês!

Tati on 29 de janeiro de 2011 06:38 disse...

adorei seu blog, seu post! um carinho muito especial pela família é sentido em cada palavra.
parabéns!

Carol M on 29 de janeiro de 2011 12:58 disse...

Oi!!

Tem selinho pra vc: http://preservandooverde.blogspot.com/2011/01/ganhei-um-selinho.html

Bjinhos

Ju on 2 de fevereiro de 2011 19:43 disse...

AEEEEEEEEEEEEEEEEE \O/ APARECI! MUIto bom o seu texto! congrats!
beijo e obrigada por me seguir!

Cris Bomfim on 5 de fevereiro de 2011 08:30 disse...

Encontrei seu blog por intermédio do da Lilian e olha fiquei emociada, sério!

Interessante saber que existe sensibilidade e prontidão no pós pai.

Por aqui as coisas caminham com a intenção de ser como ai, mas a kriptonita sempre é mais forte! hahhaa

Meu bb tem quase a mesma idade que a SuperFilha.

Iremos segui-los.

Bjs pra todos.

Seguidores

 

Diários do Papai Copyright 2008 All Rights Reserved Baby Blog Designed by Ipiet | All Image Presented by Tadpole's Notez