sexta-feira, 12 de junho de 2015

Namoros


Quando se namora, cada mês é contabilizado e comemorado como um grande aniversário, até que, depois de um ano completado, segue-se para os aniversários anuais - e depois, já casados e com filhos e milhões de atribuições e responsabilidades, compra-se um cartão de aniversário de alguma boda de não-sei-o-quê e se passa uma eternidade para entregá-lo ao consorte por absoluta falta de tempo para subscrevê-lo...

Com filhos se passa mais ou menos situação parecida: mesmo sendo eternamente enamorados de cada um deles, após o primeiro ano, os meses vão para uma conta remota que vai sumindo pelos tempos... Até que, plim, eles crescem e estão à nossa frente pedindo o carro e argumentando firmes sobre a tal da democracia familiar que você tanto defendera...

Mas o dia de hoje é especial: sim, trata-se do Dia dos Namorados e é público e notório que fica humanamente quase impossível se namorar com tantos afazeres em meio a trabalhos e filhos... Mas, certos de um amor maior por baixo de tudo, um outro tipo de namoro se renova constantemente com beijos e abraços pontuais, mas firmes, como a base mais firme ainda de uma grande e forte murada que há muito se ergueu - e agora ainda mais fortificada: além das duas rochas que jamais se podem abalar, uma pedra um tanto quanto instável de "fases sísmicas" constantes e mais duas lindas "pedrinhas", que rolam quase que literalmente pra lá e pra cá o tempo todo...

Sei que os nossos filhos herdarão esse amor e esse carinho de nós dois: crescerão com amor e hão de saber amar, ser amados e respeitar suas caras metades, que sejam muito felizes, porque vêm de um lar feliz! Mas hoje também se lamenta, porque há muito não se tem aquele tempinho a dois, aquele jantar romântico, aquela saidinha especial... E tudo fica corrido, junto ao cartão perdido e aos versos que já não foram... Bom, deixa pra lá!

Afinal, só quando os gêmeos completaram 1 ano e 1 mês que eu arrumei tempo de lhes comprar os presentes pelo primeiro aniversário: para a SuperFilhotinha, o Júlio, do Cocoricó, orgulho de qualquer nerd de menos idade, que cresceu vendo esse programa na TV Cultura; para o SuperFilho, algo ainda mais nerd: a pelúcia do Hulk "baby" (nunca pensei que esses dois nomes pudessem coexistir numa mesma frase: Hulk e bebê!), com quem acho que o meu pequeno esmagadorzinho superforte em breve se identificará!

Pensando aqui na 'tadinha da SuperFilha... Ela, que aniversariou no final do mês passado, com toda a pompa e circunstância da festa com que sonhara desde que vira Frozen pela primeira vez, acabou entrando fora do compasso, meio distante, mesmo com todo o lindo cenário e seus brinquedos favoritos (cama elástica, pula-pula inflável etc.) - é que um pequeno trauma por ter ficado presa no elevador do nosso prédio, ocorrido dias antes, ainda mexia com ela... E eu, ainda mais devedor, andava tão ocupado que só conseguia prestar atenção no (elevado) número de convidados que faltou - e o que é pior: nem lhe rendi uma merecida postagem em homenagem a data tão especial por aqui, nesses Diários! Mas o que ficou mesmo foi a linda festa e ela, mesmo tímida e encarando somente o celular da Vovó-Dinha que a filmava sem cessar, conseguiu fazer a sua grande e tão aguardada interpretação de Elsa (devidamente a caráter!) com a canção Livre Estou!

Entretanto, mesmo com a prometida boneca Elsa devendo ficar mesmo só para o dia das crianças (troquei algumas coisas repetidas na loja de brinquedos por aquela Elsa em busto para penteados, sua preferida do momento), o Papai ainda lhe presenteou com um jogo pop up das princesas, daqueles de tabuleiro e bonequinhos, muito bacana, a fim de completar um grande tabuleiro com os outros dois que ela já tinha (com as princesas Rapunzel e Cinderela) - mas, como mencionei antes, as "fases sísmicas" perduram e ela não ligou muito para o meu mimo, não...

De qualquer forma, acho que temos a obrigação de não deixar nada pra lá: já que o namoro é constante e velado, seja entre Pai e Mãe, seja por cada lindo rebento, seja pela família como um todo, sobre aquele namoro mais firme, do tempo de estudante (sim, namoramos faz tempo...), temos que ser persistentes e encaixá-lo entre um sono e outro, uma mamadeira e outra, um apelo de um ou de outro filho - namorar sempre (e aproveitar mais ainda o dia de hoje, mesmo eu voltando do trabalho na faculdade tão tarde, já com ela dormindo...), mesmo que, para isso, tenhamos que ser verdadeiros super-heróis contra o grande e implacável vilão Tempo...

Seguidores

 

Diários do Papai Copyright 2008 All Rights Reserved Baby Blog Designed by Ipiet | All Image Presented by Tadpole's Notez