domingo, 15 de janeiro de 2012

Avôs e Avós:
Os que se ficam e os que se vão...

5 comentários
Photobucket
Entre o Céu e o 12º andar da SuperTorre da nossa fortaleza o caminho é um doce arco-íris de recordações...
Dedicado aos bisavôs da Filha, que já descansam depois do arco-íris...


Neste final de semana, a Filha conheceu uma das suas bisavós por parte de mãe. Bom, na verdade, ela já a “conhecia”, só que isto se deu no ano passado, quando de sua primeira viagem de carro à cidade natal da Mamãe, no interior do Estado. E, como ela só tinha 6 meses de vida, pouco ou quase nada deve ter ficado deste seus primeiros contatos...

Já a sua bisavó paterna ela conhecia há bem mais tempo: desde o seu terceiro dia de vida, para ser mais exato, graças a uma visita especial da minha avó ao décimo segundo andar da SuperTorre da fortaleza. E, por esta também morar na Capital, apesar de todas as dificuldades de saúde do alto dos seus 85 anos (ela é terráquea...), sempre deu um jeitinho até mesmo de carregar a sua “fofinha” nos braços (tarefa que não durava muito tempo, graças, justamente, ao “excesso de fofura” da SuperFilha)... Hoje, depois de uma cirurgia no fêmur, a alegria e as brincadeiras jamais serão as mesmas novamente, com carinhos com a menininha à distância de uma cama... Ainda há outra avó minha que, por sofrer do Mal de Alzheimmer, jamais conhecerá minha filha...

Mas sem tristezas, que a alegria da Filha contagia a todos e a Morte ainda não lhe é algo conhecido (levará algum tempo para que expliquemos direitinho este capítulo da vida à nossa pequena...) – especialmente porque seu maior conhecimento até agora é o Amor, sentimento maior de soma numa família...

O curioso é que, na Família, as avós costumam ficar a dar adeus nas partidas dos avôs, que já se foram sem conhecer a bisnetinha superpoderosa... Mas, de alguma forma, eles sempre dão um jeito de estarem presentes, seja pela herança genética contida na nossa garotinha, seja pelos ensinamentos e comportamentos que até hoje povoam o SuperPai e a Mamãe: assim, a alegre “gaitada” do Vovô Deca (o ‘Seu’ Edson) muitas vezes se faz presente com uma alegre risada da Mamãe; e o “Capitão Sebá” (Vovô Sebastião) é constante por meio das músicas da casa e das “batidinhas” que o SuperPai dá com as mãos, acompanhando qualquer canção – seja nos braços da poltrona, seja nas grossas coxinhas da SuperFilha (quando o acompanhamento é dos seus “sucessos” infantis)!

E nesta semana, em que algumas religiões celebram o dia de São Sebastião, o meu querido avô completaria 90 anos de vida, tendo de nós se despedido há mais de 7 anos... Uma saudade que a Filha jamais terá: primeiro, porque não o conheceu; e, segundo, porque, nessa Família feliz, as pessoas amadas jamais se vão por completo – sempre deixam um mimo escondido no tempo querido para os seus... De ontem, de hoje e de amanhã...



quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Ano Novo: Vida Nova e...
Novos DVDs!



Finalmente aos poucos se revelam os poderes da SuperFilha: além da super-atenção a tudo em volta, a prodigiosa garotinha meio-kryptoniana, meio-terráquea, tem demonstrado uma incrível agilidade, capaz sumir de um ponto e aparecer em outro largamente distante do primeiro, numa fração de segundos! Isso sem falar na capacidade de subir na cama, passar para a poltrona de amamentação e esgueirar-se toda a fim de conseguir alcançar os seus DVDs favoritos!

E, numa dessas escaladas, mais uma vez ela conseguiu me surpreender: não só a danadinha pegou o seu hoje terceiro DVD favorito (já falo dos dois primeiros), A Galinha Pintadinha – que, de tão merecidamente famoso, dispensa comentários –, como também ligou o meu aparelho de ‘blue-ray’, tirou o disco da embalagem (lindos aqueles dedinhos gordinhos apertando o pino onde se encaixa o DVD no estojo!), colocou-o encaixadinho na bandeja do aparelho e se aproximou do sofá com a capa na mão, como que dizendo “E aí, não vai começar?” (conhecida fala de uma das galinhas no filminho). De queixo caído, peguei o controle, apertei os botões necessários e saí de fininho, deixando a nova dona da casa com seu passatempo favorito...

Eu disse terceiro porque, se antes este era o seu preferido (ao lado do logo em seguida ofertado A Galinha Pintadinha 2 – aguardem o terceiro, já em produção), hoje dois adoráveis palhacinhos “ressuscitados” pelo Homem do Baú (a dupla original data de 1983!), e uns bonequinhos fofinhos de espuma e cheios de música inteligente dominam o gosto áudio-visual da pequena: Patati e Patatá: Volta ao Mundo (primeiro DVD com a atual formação de artistas, os mesmos que fazem um bruto sucesso no SBT) e Cocoricó: 28 Clipes Musicais (coletânea de trechos dos programas da TV Cultura só com musiquinhas cantadas pelos lindos fantoches da fazenda mais famosa da televisão brasileira), além de muito bem produzidos, cativam a pequena ao ponto de esta ficar parada em frente à TV enquanto duram as atrações no vídeo!

Como a Filha não aguenta muito tempo assistindo nada somente com enredo (as únicas animações que ela acompanha com atenção do início ao fim são o brasileiro Peixonauta e os canadenses Backyardigans e Rob, O Robô), tem que haver muita música! Sendo assim, os palhaços que ela já adorava da TV são o seu segundo vídeo favorito (mesmo com alguns tropeços de Português nas legendas e com alguma religiosidade em certas canções, coisa que não aprecio em obras infantis – nada que importe muito para a minha garotinha), perdendo apenas para a turma do Júlio, cujo DVD compila algumas das deliciosas composições do genial Hélio Ziskind (o mesmo mestre de outro clássicos da Cultura, como “Banho é bom”, do antigo Castelo Rá-Tim-Bum), famoso por criar longas letras em melodias que servem, na maioria das vezes, mais para acompanhar a longa história contada (vide o exemplo do cultuado “E se...”, com o porquinho Astolfo, ‘hit’ da ‘internet’) ou por brincar com experimentações nas letras (“A Banda do Zé Pretinho”, por exemplo, usa e abusa das referências aos instrumentos de percussão e ainda reverencia Jorge Ben Jor), apesar de algumas canções no estilo tradicional (como as lindas composições “Chuva, chuvisco, chuvarada” e “Baião Balaio”, além de reformulações como as da “Velha a fiar” e de sucessos antigos de marchinhas).

O amor (e a obsessão!) pelo DVD de Lola, Lilica e Zazá (mais galinhas fofinhas para a criançada, além da já famosa Pintadinha!) é tanta que minha filha não dá nem “bom dia”; já diz “cocó” (o jeito que ela tem de chamar “Cocoricó”)! E, ao longo do dia, diante da primeira sensação de tédio, lá vem a sugestão:

–Cocó?
– Não, filha: Cocó, não! Você viu há duas horas o vídeo inteiro, de mais de uma hora de duração! Só amanhã!

Depois de algum charminho ou de alguma birra chantagista bem rápida, ela vai e se engraça com outra coisa e a gente rola pra frente: a Mamãe e eu não gostamos de deixá-la assistir a muito tempo de televisão – embora admitindo que, num apartamento, fica difícil afastá-la da velha “máquina de fazer doido” enquanto não a levamos para o ‘playground’ do condomínio logo cedo da manhã ou à tardinha.

Ela ainda possui A Turma do Balão Mágico (do meu tempo...) e Bebê Mais: Música (que ela chama de “Cacá”, por causa do macaquinho da capa do vídeo), mas, mesmo ela vendo cada um destes títulos de vez em quando, não estão entre os seus mais queridos – e nisso concordo com ela: o primeiro é pessimamente produzido, com imagens envelhecidas de alguns clipes jogados da antiga turma da Simony; já o segundo, mesmo com toda a apresentação cheia de explicações (uma narradora explica, na introdução da série e no final, que se trata de um trabalho desenvolvido por educadores, altamente instrutivo, com todo um "blá blá blá" que não interessa muito para os pequenos, a não ser para pais mais nervosos com Educação), jamais me agradou com seus fundos pretos (ou totalmente brancos) sem cenários e com cenas desconexas a mostrar brinquedos manipulados por mãos e fios... Colocasse mais vida e uma melhor edição, com mais sequências com crianças ou com os bichinhos personagens da série (um macaco, um cachorro, um jacaré, uma galinha e uma oncinha capengamente manipulados) e facilmente superaria a sua "fonte de inspiração", Baby Einstein (da Disney) – e Isabela iria realmente adorar!

O vídeo que ela ganhou no Natal, Toquinho no Mundo da Criança, ainda está em fase de "apresentação" (ela vai gostando aos poucos deste belíssimo DVD com animações premiadas sobre músicas do famoso compositor) e ainda é cedo para falar de futuras “adorações”, mas creio ter sido feliz nesta última escolha, especialmente porque se trata de um dos meus cantores/compositores favoritos, com um largo 'background' ligado às crianças. O certo é que ela seguirá faceira com suas habilidades motoras cada vez maiores e agílima como um raio por entre os pouco mais de 65 metros quadrados do apartamento, parando por completo, como que hipnotizada, somente quando um dos seus vídeos favoritos for colocado para rodar... De preferência, por ela mesma e seus dedinhos cada dia poderosos!

Seguidores

 

Diários do Papai Copyright 2008 All Rights Reserved Baby Blog Designed by Ipiet | All Image Presented by Tadpole's Notez