sexta-feira, 1 de junho de 2012

"Doix Aninho"...


Ela é meu tempo vivo. Com ela não me envergonho de nada, nem de correr em público fazendo papel de "bobo", nem de me emocionar com olhos marejados em cada doce lembrança que vem à tona.Afinal, parece que foi ontem...

Nesta quinta-feira não choveu, como na manhã em que você nasceu, meu amor-lindo. Às 10:07 da manhã, hora exata em que você pôs sua linda cabecinha cheia de cabelo pretinho para fora da Mamãe, você corria hoje pela casa a desfilar suas reinações e a pedir "bicoito" fora de hora. À tardinha, ao contrário do quarto de maternidade lotado de parentes para ver com quem você mais se parecia (desde o primeiro dia a gente sabe com quem, né, minha linda?), sua amada Vó-Dinha ("Vovó Diena"), seu estimado Vovô-Pum ("Vovô Caíto") e seus devotados pais levaram você para um passeio em comemoração a este dia tão especial...

Não houve festinha, como no ano passado, nem bolinho com velinha para você praticar o "parabéns a você" que ensaiamos a semana inteira... Mas você, a toda hora, exibia seus lindos dedinhos indicador e médio (ainda que este sempre se apresente meio tortinho) a proferir que você já tem "doix aninho"... E você, a brincar efusiva pelos brinquedos do parquinho do shopping, nem de longe lembra a dorminhoca linda daquele já longínquo 31 de maio de 2010... Como você cresceu...
– Mindir... Mindiiir...
Vai falando, a arrastar a fita métrica pela casa, no alto dos seus 86 centímetros (– Ela vai ficar alta, por volta de 1,72m, atesta uma avó-e-madrinha empolgada com seus "cálculos" antigos), que acabamos de "mindir", digo, medir, com a fita, no portal do seu quarto. Cadê minha "piunguinha" de 49 cm?!

É... Só me resta agora, neste final de dia especial, cantar para você, exausta, esta linda valsinha do velho Poetinha...
Menininha do meu coração
Eu só quero você
A três palmos do chão
Menininha, não cresça mais, não,
Fique pequenininha na minha canção
Senhorinha levada
Batendo palminha
Fingindo assustada
Do bicho-papão

Menininha, que graça é você
Uma coisinha assim
Começando a viver
Fique assim, meu amor
Sem crescer
Porque o mundo é ruim, é ruim
E você vai sofrer de repente
Uma desilusão
Porque a vida é somente
Seu bicho-papão

Fique assim, fique assim
Sempre assim
E se lembre de mim
Pelas coisas que eu dei
E também não se esqueça de mim
Quando você souber enfim
De tudo o que eu amei


Depois de algumas reinações na rede, você (hoje, com dois anos e um dia, e mais alta do que os "três palmos" da valsinha) sorri com alguns versinhos, bate palminha no momento exato ao da canção e vai adormecendo, feliz... Feliz aniversário, Super-Filha... Papai te ama muito...

"Danxa", meu lindo par de perninhas grossas se preparando para o mundo...


Seguidores

 

Diários do Papai Copyright 2008 All Rights Reserved Baby Blog Designed by Ipiet | All Image Presented by Tadpole's Notez